Menu

Jogamos a demo: Marvel Vs. Capcom: Infinite apresenta visual ruim, mas potencial em seu gameplay.


Desde quando foram mostrados os primeiros gameplays e cutscenes de seu modo história, Marvel VS.Capcom: Infinite vem recebendo as mais duras críticas por conta da direção que a sua arte tomou. Tentando alcançar um visual mais cinematográfico, a Capcom deu aos personagens do game modelos mais “realistas”, se comparados com os cartunescos dos últimos jogos, escolha que não agradou o público.

Ao jogar a demo de história que foi liberada no dia 13 de Junho, foi possível conferir de perto esses visuais em 25 minutos de gameplay + história, que discutiremos a seguir.

No quesito história, a demonstração de MVC:I abraça a galhofa e o absurdo dos quadrinhos. Durante a demo, diversos heróis dos universos da Marvel e da Capcom invadem Xgard (mistura de Asgard de Thor com a cidade de Megaman X), para resgatar Thanos, que foi aprisionado por Ultron Sigma (uma fusão de Ultron, vilão dos Vingadores, e Sigma, vilão de Megaman X), o grande vilão do game, que deseja usar as pedras do infinito para destruir a vida orgânica dos dois mundos.

 

 

Por mais exagerada que pareça a plot, essa união rende alguns momentos divertidos com a interação dos personagens, mas, na maioria das vezes, soa bem forçado. O jogo parece querer ter certeza que nós sabemos quem é cada um desses personagens, já que a todo o momento, eles estão repetindo os nomes uns dos outros da maneira menos natural possível. A baixa qualidade da dublagem acrescenta um pouco mais à esquisitice dos diálogos.

Existe uma discrepância na qualidade de alguns dos modelos dos personagens e animações durante as cutscenes. Alguns personagens, principalmente os inéditos, apresentam visuais bem trabalhados e detalhados, enquanto alguns dos que retornaram do último jogo, principalmente aqueles que tiveram uma transição do cartum para o “realista”: Chun Li, Dante, Chris, entre outros, estão com animações faciais terríveis, que quebram todo o clima das cenas.

Outra escolha que não agradou, foi a questão de luz e cores. Diferente dos games anteriores que eram coloridos, com diversos efeitos de luminosidade, trazendo mais vida às batalhas e cenas, MVCI traz paletas mais escuras e poucos efeitos, abandonando o clima de “história em quadrinhos” para dar lugar ao cinemático. Separei os vídeos de anúncio de MVC 3 E MVC: I para ilustrar melhor a mudança:

 

 

 

Marvel Vs. Capcom é uma série conhecida pela velocidade do combate e o quão absurdas as lutas podem ficar com diversos personagens na tela atacando de diferentes formas. Outra preocupação que Infinite trouxe, foi a troca do sistema de 3 Vs 3 por 2 Vs 2, como nos primeiros games da franquia. Foi uma surpresa boa durante a demo, ver que as novas mecânicas mantêm parte da essência da franquia.

Apesar de batalhas limitadas a robôs e capangas com pouca vida e que não apresentavam ameaças, foi possível experimentar diversos combos e utilidades das novas mecânicas, como por exemplo o novo sistema de Tag, onde em qualquer momento, o jogador pode chamar seu personagem reserva para continuar um combo, ou iniciar um ataque novo.

Durante a jogatina, me pegava experimentando várias utilidades diferentes para a Tag, que funcionava muito bem, mas, pode ser perigosa caso usada no momento errado, pois o personagem que você controlava anteriormente fica vulnerável. Você pode chamar o seu parceiro durante especiais, combos, taunt ou até mesmo enquanto atacado, porém, nesse último caso, é necessário o uso de barras de super.

 

 

A ação não é tão rápida quanto os games anteriores da série, porém, as coisas podem ficar bem frenéticas enquanto o uso das pedras do infinito e o Tag são utilizados, mostrando que ainda existe um pouco de Marvel Vs. Capcom em Infinite.

Apesar de razoavelmente curta, a demo apresentada pela Capcom já deixou um gosto estranho em relação ao game. Enquanto ela confirma que a qualidade gráfica e das animações estão urgentemente precisando de melhorias, ela também entrega uma experiência com o gameplay, que mesmo breve, foi o suficiente para convencer sobre o potencial de suas mecânicas e as possibilidades de combinações entre personagens, gemas e o Tag. Resta torcer que o produto final consiga redimir pelo menos os mais graves desses problemas (o rosto da Chun-Li agradece).

Marvel Vs. Capcom: Infinite será lançado no dia 19 de setembro para Xbox One, Playstation 4 e PC. A Story Demo já está disponível para os consoles.


Curta o Gamepress nas redes sociais:
Facebook
RSS

Curta no Facebook!

Canal Gamepress no YouTube!

Primeira meia hora de Lego Marvel Super Heroes 2

Últimos Tweets