Menu

Experiência de Call of Duty World War II na BGS e entrevista na íntegra com Mike Mejía


O jogo Call of Duty World War II (CODWWII) esteve presente na Brasil Game Show (BGS) desse ano e a GamePress teve a oportunidade de experimentar o game e entrevistar Mike Mejía, produtor do jogo. Para celebrar o lançamento do título nada melhor que relembrar a experiência vivida no sábado (14/10) durante a cobertura realizada pela GamePress.

Enquanto esperávamos pelo horário da entevista agendada, fomos convidados pela assessoria de imprensa da Activision a experimentar o jogo. A build trazida para a BGS estava rodando no PS4 Pro e consistia em partidas multiplayer local 5 contra 5, nos modos mata-mata em equipe e capture a bandeira, durou cerca de 20 minutos.

O ritmo acelerado e frenético do jogo, característico da série COD, se fez presente e garantiu a diversão. A fluidez do jogo também chamou a atenção, assim como todo o cuidado com o aúdio do jogo, desde os sons das armas características do combate da WWII, assim como as falas e as explosões. Tudo reproduzido com muita fidelidade, garantindo uma imersão ao jogo que fez com que o tempo passasse rapidamente.

Ao final da experimentação do jogo, nos dirigimos ao local para a realização da entrevista com Mike Mejía, confira o vídeo a seguir:

A transcrição na íntegra se encontra a seguir:

GamePres: Mike, primeiramente obrigado por nos receber e por ceder o seu tempo. É uma hora e uma grande oportunidade ter você do COD: WW2 aqui na BGS.
Mike Mejía: A honra é minha de estar aqui no Brasil e conversar com vocês!

GamePress: Bom, depois de três COD futuristas, por que a Segunda Guerra Mundial (SGM)?
Mike Mejía: Nós estávamos muito orgulhosos com os jogos situados no futuro, mas nós queríamos regressar à raiz de COD. Nós já tínhamos a ideia de voltar a SGM ainda durante a produção do Advanced Warfare a 3 anos atrás. Nós não pudemos falar o que estávamos fazendo, mas a hora que pudemos trazer ao público o que a gente estava trabalhando no WW2 foi bom, a gente está bastante animado e contente.

GamePress: Pouco antes da entrevista eu tive a oportunidade de jogar e visitar o estande do jogo e percebi os fãs bastante empolgados e animados com o jogo, inclusive o WW2 chegará com uma regionalização para o Brasil. O que a Activision pensa dos fãs brasileiros?
Mike Mejía: Os fãs brasileiros são um dos fãs mais importantes do mundo. Eles falam com a gente pela comunidade, se gostam ou não do jogo, são muito ativos, falam bastante. São muito animados. Nós gostamos de falar com eles [fãs brasileiros] porque eles nos dão opiniões a respeito do jogo. “Gostamos do jogo por isso” ou “não gostamos do jogo por isso”, então esse feedback nós levamos à nossa equipe da Sledgehammer e é um feedback muito bom. Na Private Beta foi assim e foi excelente, o que nos deixou orgulhosos. Pois nós temos uma responsabilidade para o nosso público e no Brasil também. Pois é um país muito importante para a gente e temos muito respeito por eles.

GamePress: Durante a exibição do trailer foi possível notar que o jogo trará histórias reais da SGM, sei que muitas coisas sobre a histórias vocês não podem falar, mas qual foi o principal cuidado em contar as histórias da SGM?
Mike Mejía: Nós trabalhamos com um assessor militar, NOME, e foi muito bom. Pois foi ele trás a narrativa a vida ao falar com ele. Ele nos contou muitas histórias que talvez muita gente não sabe, como por exemplo a história de mulheres que batalharam durante a SGM na resistência da França. Elas lutaram ao lado dos países Aliados, Inglaterra e EUA, nós estávamos querendo contar isso no jogo. Por isso estamos orgulhosos de poder contar a história de sacrifício da época. É por isso que eu acho que é um dos mais importantes jogos que eu já trabalhei.

GamePress: Você falou sobre sacrifício. O quão importante foi a SGM para determinar como o ocidente se desenvolveria após seu término?
Mike Mejía: A SGM para mim, eu acredito que tenha afetado todo mundo mesmo nos dias de hoje. Por exemplo, sua avó, o meu avô e minha avó viveram esse período. Eu acho existem histórias pessoais de dificuldade que aconteceram no mundo e o sacrifício que as pessoas fizeram durante a SGM contra o mal, lutando pelo o que achavam ser bom é algo que não será esquecido jamais, é atemporal. A SGM vai ser algo na nossa história que nós sempre iremos olhar para trás e afirmar que não podemos deixar que isso aconteça novamente, não pode ter uma guerra dessa proporção novamente que acabou com tantas vidas. Eu acredito que nós tenhamos uma das grandes oportunidades de contar a história dos heróis e dos sacrifícios. Poder retratar esses grandes momentos, é uma grande oportunidade de contar essas histórias.

GamePress: Primeira vez no Brasil?
Mike Mejía: Nâo, é a minha segunda vez na BGS. Eu vim aqui por conta do Advanced Warfare, com o Kevin Spacey, o soldado avançado, eu gostei bastante. Eu tenho família aqui [no Brasil], minha esposa é de Goiânia, Mato Grosso, eu também família aqui em São Paulo. Brasil sempre vai ter um espaço no meu coração.

GamePress: O que está achando da BGS esse ano?
Mike Mejía: Está incrível, está enorme, cada vez maior. Acho que é um dos mais importantes eventos e que a cada ano que passa fica maior e maior. Não vejo a hora de voltar e ver que ela continuou crescendo, tornando-se um evento de primeira categoria, eu acredito que já é um grande evento. Tem E3, Gamescon e Brasil Game Show, é elite.

GamePress: Gostaria de pedir pra você deixar uma mensagem aos fãs brasileiros de COD.
Mike Mejía: Claro. Olá gente do Brasil, obrigado por me receber hoje aqui no seu país lindo. Esse jogo é para vocês, estamos trabalhando nele a mais de 3 anos. Obrigado por todo o suporte e mais uma vez, esse jogo é pra vocês! Obrigado Brasil. Tchau!

Call of Duty World War II está disponível para PlayStation 4, Xbox One e PC.


Curta o Gamepress nas redes sociais:
Facebook
RSS

Curta no Facebook!

Canal Gamepress no YouTube!

SOULCALIBUR VI é anunciado para PS4, XB1e PC durante The Game Awards

Últimos Tweets