Menu

[REVIEW] Aragami: Shadow Edition traz muito estilo e desafio para o Xbox One


Lançado originalmente em 2016, Aragami foi recebido positivamente ao chegar ao Playstation 4 e PC, tanto pela sua jogabilidade, quanto por seu estilo. Agora, o game finalmente está chegando ao Xbox One com mais conteúdo, com o lançamento de Aragami: Shadow Edition.

Aragami conta a história do ser homônimo, que foi invocado com o objetivo de resgatar uma mulher misteriosa e a ajudar em seu objetivo: vingança. O Aragami conta com habilidades baseadas em sombras. Ele pode se teletransportar livremente em lugares escuros, camuflar-se, criar kunais e armadilhas, porém, da mesma maneira que a escuridão concede poder a ele, a luz é sua fraqueza.

Conhecer essas habilidades e fraquezas do personagem são essenciais enquanto o jogador se aventura nos diversos capítulos do game. Baseado na mitologia japonesa, as missões do Aragami são baseadas em mecânicas de Stealth, onde é necessário se infiltrar em diversos campos inimigos procurando por objetos específicos, ou apenas atravessar de um ponto até o outro. Por mais fácil que possa parecer controlar um ninja com tantas habilidades, a dificuldade se encontra nos oponentes encontrados durante a jornada, que ao menor sinal do Aragami, o atacarão com espadas de luz, eliminando o jogador com apenas um golpe.

O game convida o jogador a experimentar cada uma de suas missões de forma livre, oferecendo recompensas por concluí-las de diferentes formas. Existem três tipos de medalhões que podem ser ganhos ao final de cada fase, um por não matar nenhum inimigo durante a jogatina, outro por não ser visto em nenhum momento, e um último por matar todos os oponentes do local explorado. Além dos medalhões, existem colecionáveis espalhados em formato de pergaminhos. Esses itens irão conceder pontos que poderão ser trocados por novas habilidades ao Aragami, aumentando ainda mais seu leque de poderes.

O jogador encontrará diversos cenários durante a jogatina, passando por jardins, templos, áreas urbanas, entre outras construções e locações japonesas, porém, por conta da natureza repetitiva do jogo e a duração das missões, algumas dessas áreas acabam se tornando um pouco cansativas. A falta de variedade dos inimigos também deixa a aventura um tanto quanto exaustiva. Mas, apesar da repetição, por conta de seu estilo de arte contrastante e colorido, os ambientes e personagens apresentados demonstram personalidade e vida, principalmente quando somado ao jogo de luz e escuridão que se espalha por todos os cantos. Outro fato interessante, é que se dois inimigos se encontram, eles podem iniciar uma conversa, evento que ajuda na imersão daquele universo.

Outro aspecto do jogo que possibilita uma imersão maior, é que todos os indicadores de energia, habilidades equipadas entre outras, são marcadas nas roupas do protagonista, excluindo a necessidade de informações na tela, além das imagens do próprio jogo e determinadas ações.

O gameplay de Aragami é tanto simples quanto desafiador: para chegar ao seu objetivo, é necessário passar por áreas recheadas de inimigos, evitando qualquer contato desnecessário ou cometer erros. Um guarda pode avisar todos os outros da área caso te encontre, ou se depare com um companheiro morto, então é importante analisar todo o espaço antes de começar a agir. O Aragami é munido de um teletransporte que permite que ele se mova instantaneamente até áreas escuras. Nessas áreas, o personagem se torna invisível aos guardas e pode agir mais livremente. A única maneira de abater um oponente é atacando de surpresa, fato que desencadeia a sensação de urgência e perigo a cada momento. Durante a jogatina, novas habilidades podem ser desbloqueadas para facilitar a aventura, porém, é importante lembrar que todas essas ferramentas se utilizam de energia, que o nosso herói pode se recuperar em áreas escuras, ou encontrando pequenos templos espalhados.

A história é contada ao jogador por meio das interações entre os personagens durante as missões, e pequenas cutscenes, como se fossem histórias em quadrinhos animadas com um ótimo estilo de arte. O problema desse formato, é que muitos nomes e fatores que são apresentados durantes esses momentos são breves e superficialmente explicados, mas que quando retomados mais a frente na história, se mostram mais importantes do que pareciam inicialmente.

Além do jogo base, a Shadow Edition conta com a DLC Nightfall, apresentando uma história paralela e dois novos personagens jogáveis. Essa nova história apresenta mais elementos de gameplay baseados na interação desses dois personagens, sendo melhor aproveitada se jogada em multiplayer (o jogo base também apresenta essa opção, mas não tem tanto impacto na história como em Nightfall), possibilitando crossplay com a versão de PC.

Aragami: Shadow Edition traz finalmente toda a experiência Stealth do game base ao Xbox One, além de uma nova história em um só pacote. Apesar de repetitivo, é um game visualmente impressionante e conta com um charme único, além de um gameplay desafiador que possibilita ao jogador diferentes modos de se aproveitar a experiência.

Aragami: Shadow Edition chega ao Xbox One no dia 05 de Junho. A nova DLC também chega no mesmo dia para o PC e o Playstation 4.

Curta o Gamepress nas redes sociais:
Facebook
EMAIL

Comentários

comentários

Curta no Facebook!

Canal Gamepress no YouTube!

Cyberpunk 2077 será em PRIMEIRA PESSOA mas não é FPS! ENTENDA! - News EXPRESS